#9 Aaah livros... : "Swing - Eu, Tu... Eles", por Maria Silvério

terça-feira, março 31, 2015

Autor: Maria Silvério
Data de publicação: Junho de 2014
Número de páginas: 284
ISBN: 978-989-51-1668-3
Género: Sexualidade
Editora: Chiado Editora

Em edição papel custa 15€  |  Em Ebook custa 3€ (ver aqui).


      Não, não se trata da conhecida dança. Este é um livro de uma autora brasileira que expõe o seu estudo sociológico acerca de uma temática tabu na sociedade que é para muitos desconhecida: o swing. Esta é a base para que a autora estabeleça algumas reflexões acerca dos comportamentos, das 'regras' em que se regem os modelos conjugais do século XXI, nas sociedades ocidentais. A obra reflecte o resultado de mais de dois anos de pesquisa (no campo, em obras e sites) sobre a temática swinger em Portugal e no Brasil, pelo que, através de entrevistas a praticantes deste "estilo de vida", podemos compreender melhor o significado da palavra, para muitos desconhecida. É com obras destas que se desmistificam conceitos e se quebram estereótipos que podem prejudicar as vivências dos adeptos, que ao serem "descobertos" se vêem vulneráveis e sujeitos às críticas de uma sociedade que por vezes não tem acesso à informação e julga o que não conhece. Daí considerarmos tão importante a divulgação de livros como este. Claro que tudo isto envolve os aspectos da vida afectivo-sexual do ser humano e é-nos explicado todo o processo que abrange o swing, bem como factores históricos que tentam explicar a sua origem.
Imagem retirada da Internet.
      Adiantamos desde já que nem nós, nem a própria autora somos adeptos deste tipo de actividades. No entanto, isso não significa que não tenhamos curiosidade em saber do que se trata, ou mesmo em tentar compreender algo que para nós não é tão fácil de perceber. Após lermos o livro, conhecemos melhor determinados termos, determinados estilos de vida que são tão incompreendidos. O que nos levou a querer ler este livro foi mesmo para divulgamos que as opções sexuais de cada um, a cada um pertencem. Nada há a julgar. Aliás, todos devemos estar abertos a ter conhecimento sobre nós mesmos e sobre o que gostamos e tentar realizar-nos enquanto seres humanos. Desde que não se vá contra a vontade de quem connosco colabora, que importa se se é homossexual, swinger ou bissexual ou outra coisa qualquer? O que importa é que as pessoas se sintam realizadas e não vivam uma vida que não é a deles; não sejam uma pessoa que não é a vossa. Assumam o que gostam e procurem o que vos faz feliz! Este livro ajuda a que se desmistifiquem conceitos (como o swing que pode ser mais do que uma troca de casais em termos sexuais), e que se deixe de julgar as pessoas pelo que fazem na sua intimidade.


      Compreendemos então que o swing abrange muito mais do que uma troca de casais na sua actividade sexual. Poderá ser o casal com um homem ou o casal com uma mulher. O que importa é que o casal aceite o que vai acontecer. Para um elemento do par poder ter relações sexuais com outra pessoa, o outro elemento do par deve aprová-lo, pois caso contrário, isso já é uma traição. O que acontece é que eles diferenciam o sentimento de amor com o do sexo, pelo que se pode amar uma pessoa e se sentir atraído sexualmente por outra, logo podem satisfazer-se sexualmente sem que isso envolva a quebra dos sentimentos pela pessoa com quem assumem uma relação. Assim, através de casos reais, em entrevistas, podemos conhecer vários casos e várias experiências deste meio. A própria autora, não sendo adepta, visita vários eventos para efeitos de swing e fala-nos das suas regras e dos acontecimentos que por lá se passam.
        Há alguns anos atrás, numa telenovela da TVI ( denominada Tempo de Viver), esta temática também foi abordada. Tratavam-se de personagens que nos mostravam que um casal com filhos e perfeitamente inserido na sociedade pode ser swinger, não sendo os adeptos pessoas promiscuas que vivem para o sexo ou algo semelhante como pensam muitas pessoas. Tratam-se de pessoas que vivem uma vida normal, que estão inseridas na sociedade, de variadas faixas etárias, dos diferentes grupos sociais. Não há uma linha traçada para definir um adepto de swing, que não é nada mais, nada menos do que uma opção sexual/ um modo de vida, na sua intimidade. 
      Neste sentido, consideramos que o livro está muito explícito e completo. Esclarece muito bem as dúvidas de quem não conhece a prática. É bastante interessante mesmo só pelo facto de desmistificar estes estereótipos que se costumam gerar nestas opções de vida, e que fazem com que as pessoas tenham que se esconder para não serem julgadas. Assim, recomendamos vivamente a que leiam o livro que se lê facilmente e cumpre com o seu objectivo de esclarecer as pessoas. No entanto, há que salientar que o único factor que achamos menos positivo é o facto de estar escrito em português do Brasil, o que para um português de Portugal pode tornar-se de menos fácil leitura. Ainda assim é um livro que se lê bem e rápido e muito interessante. Se o lerem, divulguem a vossa opinião sff.
      E vocês, conhecem o termo swing? Há muito mais a ser dito para definir esta palavra do que o que aqui fora dito, pelo que recomendamos que leiam o livro, mas também que digam a vossa opinião. Quem sabe não possamos ajudar a desmistificar pequenos estereótipos, após termos lido este livro. Bem sabemos que os swingers gostam de manter o seu anonimato, por isso mesmo, se quiserem falar abertamente, saibam que o podem fazer seguindo a opção de comentar de forma anónima. Ficamos então à espera da vossa opinião, está bem? :)
       

Com o patrocínio de:

Image and video hosting by TinyPic

6 comentários

  1. Não conhecia esse livro! Pareceu-me bastante interessante!
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é. Aprende-se muito de quem não conhecia a temática, e é importante desmistificar conceitos. :)

      Ela e Ele.

      Eliminar
  2. Não conhecia esse livro, mas fiquei com vontade de o ler. «É com obras destas que se desmistificam conceitos e se quebram estereótipos», concordo totalmente, até porque muitas vezes caímos no erro de criar imagens sobre determinados assuntos que não correspondem inteiramente à verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A maioria das vezes é isso que acontece. Por isso mesmo é que é tão importante desmistificar conceitos. É muito interessante nesse aspecto! :)

      Ela e Ele.

      Eliminar
  3. Deve ser muito bom, difícil é a confiança nas pessoas..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E depende do gosto da/o parcerira/o. É que temos que ambos procurar o mesmo. Nisto do swing o mais importante é a confiança e que procuremos o mesmo. No nosso caso nós não víamos essa vontade, pois gostamos de ser somente um do outro. Nisto tudo é mau quando ambos não procuram o mesmo pois o par pode não compreender ou aceitar essa decisão

      Eliminar

Obrigado pelo comentário! Vamos responder-te no mais breve espaço de tempo que nos for possível. Até sempre! :)

Latest Instagrams

© Ela e ele... Ele e ela.... Design by FCD.