#2 Crítica à Sociedade: Os rótulos foram feitos para produtos, não para as pessoas.

terça-feira, julho 07, 2015

       Se há assuntos que nos deixam indignados são injustiças e, entre elas, hoje falamos dos rótulos que tanto prejudicam, por vezes, imensas pessoas. Já é altura de se perceber que todos nós temos uma ou mais opiniões sobre um mesmo assunto e que somos milhões de seres humanos com as mais variadas opiniões; e bem sabemos que por vezes é difícil perceber quando acaba o espaço do outro para começar o meu. É certo que um mundo perfeito é pura utopia, e que o que é perfeito para nós, pode não ser para o vizinho. Mas há que lutar por um mundo melhor e não ficarmos parados à espera que tal aconteça ou ficar resignados ao que nos é imposto pela sociedade. A sociedade somos nós todos. Cada um de nós a constitui. E cada um de nós se encontra em constante evolução, pelo que nos compete fazer evoluir a sociedade. Mesmo que o geral tenda a pender para um lado oposto ao que acreditamos, isso não nos deve demover do que nós cremos que seja a melhor opção. Por isso mesmo hoje fazemos uma crítica à sociedade, com o intuito de chamar a atenção para as problemáticas que se devem ver resolvidas com urgência!
(Já vos dissemos que adoramos a Mafalda?)


        Numa altura em que também nós nos encontramos a finalizar os últimos exames das nossas licenciaturas e a procurar os nossos primeiros empregos, vemos várias coisas que nos desagradam, é certo. Vemos várias atitudes que nem humanas parecem. Vemos ofertas de emprego onde as pessoas quase têm que pagar para trabalhar, ao invés de trabalharem para receber, como suposto. Vemos horários onde as pessoas nem máquinas poderiam ser, pois mesmo as máquinas precisam de descanso e de combustível. Vemos muito e muito nos desagrada. Mas hoje, entre estas linhas, gostaríamos de chamar a atenção para os rótulos colocados, não só aquando do emprego, mas na sociedade no geral. Claro que afectam muito mais quando o assunto se prende com a empregabilidade e por isso mesmo, chamamos a atenção para isso em específico, mas queremos deixar a mensagem clara: tu podes fazer a diferença, em qualquer espaço, em qualquer altura: Basta que não faças julgamentos de valor!
  • Não julgues que o jovem é inútil por não ter experiência. Pode não a ter, mas por certo que terá muita vontade para aprender de forma rápida e eficaz!
  • Não julgues que o velho está acabado e não serve para actividade alguma. Velhos são os trapos. O que conta é a mentalidade. Aproveita a experiência e sabedoria dos outros, pois é a melhor forma de evoluíres!
  • Não julgues que o gordo é um incapaz, sem cuidado e infeliz, sem capacidades para trabalhar por não se poder mover com rapidez. A verdade é que pelos mais diversos factos da vida pode ter ficado com uns quilos a mais, mas isso em nada muda a sua personalidade, a sua vontade e a capacidade para trabalhar atrás de uma secretária, por exemplo. Podem ter os seus limites, mas não são limitados a estar em casa!
  • Não julgues que o magro é um doente e impróprio para a actividade laboral. Às vezes uma pessoa com mais peso pode ser uma pessoa muito mais frágil que uma pessoa forte, mas mais magra!
  • Não julgues que uma pessoa está demasiado bem vestida ou demasiado bem maquilhada. É sinal que gosta de si própria, e está bem consigo mesma. Está resolvida. Não é sinal que trabalha menos bem por isso à priori!
  • Não julgues que só porque uma pessoa engravidou ou já tenha filhos, não pode trabalhar!
  • Não julgues que uma pessoa ou mesmo um conjunto delas a agir mal, torna toda uma etnia num símbolo de maldade! Não discrimines (até porque é crime!)!
  • Não julgues uma pessoa por ter uma tatuagem ou mesmo muitas; ou piercings no corpo. A sua imagem não define as suas qualidades laborais ou mesmo a sua personalidade!
  • Não julgues que por uma pessoa ter cometido um erro, não poderá voltar a ser inserida na sociedade. Às vezes as pessoas só precisam de uma oportunidade, em vez de julgamentos!
      Tantos e tantos outros exemplos poderiam ser dados... Infelizmente, estes são os que mais conhecemos e, por isso, os que mais nos deixam indignados. Alteremos mentalidades! Não sejamos todos iguais. Se todos gostarmos de azul, o que será do amarelo, do laranja, do roxo, ou até mesmo do cinzento e do preto?! Como haveria a beleza divinal do arco-íris?! Pensemos nisto e deixemos de catalogar as pessoas só com uma primeira vista, pff.
Cada vez mais a sociedade, no geral, parece não querer falar, ouvir ou ver.
Sê um bom rebelde e vê, ouve e denuncia. Muda-te! :)
       Podemos não mudar o mundo, mas se cada pessoa der o seu contributo, com toda a certeza que podemos fazer a diferença!!



Image and video hosting by TinyPic

4 comentários

  1. São esses rótulos que criamos que impedem a sociedade de evoluir. Cada pessoa é distinta e merece uma oportunidade para mostrar o que vale. Se é recusada para um emprego, que o seja porque o currículo não se adequa àquilo que procuram e não porque é gorda/com mais idade/preta, branca, vermelha, às pintas. As pessoas valem pelo carater que têm e não pela imagem. Está na altura de deixarmos de etiquetar as pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente!! Concordamos em 200% como deves ter reparado. É que é inacreditável como ainda se cometem tamanhas discriminações que se consideram por muitos impensáveis...

      Eliminar
  2. Infelizmente este mundo é feito de (demasiadas) injustiças!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo!
      Mas nós acreditamos que não devemos ficar a assistir de braços cruzados. Acreditamos que vale sempre a pena fazer a nossa parte pela mudança e pela boa evolução!

      Eliminar

Obrigado pelo comentário! Vamos responder-te no mais breve espaço de tempo que nos for possível. Até sempre! :)

Latest Instagrams

© Ela e ele... Ele e ela.... Design by FCD.