5 regras de ouro para quem planeia sair de casa dos pais!

terça-feira, dezembro 15, 2015


       Esta publicação é para todos os jovens que pretendem sair de casa dos pais. Jovens e não só, até porque hoje em dia, em tempos de crise, cada vez se sai mais tarde do apoio familiar para ter uma casa própria. Antes demais é importante ter em mente que os gastos vão ser muitos e que acabarão por surgir imprevistos... Mas falamos de tudo de forma detalhada ao longo desta publicação.
Créditos de imagem (aqui).
       Em primeiro lugar sentimos necessidade de chamar a atenção para algo mesmo muito importante: Nesta altura é facto assente que todos vão ter uma opinião a dar sobre o assunto. Todos vão tentar "obrigar" ou pressionar de forma consciente ou inconscientemente para que fiquem em casa dos pais ou para que se mudem para uma casa própria. Mas não é porque todos os amigos do liceu já estão casados e com filhos que se devem sentir pressionados/as a fazer o mesmo. A [tua] vossa vida só a vocês [a ti] diz respeito, e só vocês podem responder às vossas perguntas e saber as vossas preferências. Por mais que todos tenhamos uma opinião sobre a vida das estrelas de cinema, são elas próprias que pagam as suas contas, por isso só elas é que podem decidir a sua vida. Nós lamentamos, mas infelizmente não vamos poder pagar as contas para poder opinar. E a questão é mesmo essa: Não deixem que tomem decisões por vocês sobre as vossas vidas!

1. Quanto custa morar sozinho/a?
       Esta é a primeira pergunta que temos de nos fazer e a resposta à mesma é essencial para a tomada de decisão final, pois só assim vamos poder perceber se vamos ou não conseguir sustentar-nos autonomamente para pudermos então ir morar sozinhos.
       Ninguém pode. melhor do que vocês mesmos. fazer a lista dos vossos gastos, pois cada um tem o seu próprio estilo de vida e todos temos possibilidade. ou não, de alcançar determinados padrões, por isso nós damos-vos a lista do básico, ao que devem acrescentar o que for essencial para vocês. Cá vai então o que para nós são os gastos básicos para quem vai viver sozinho, para que possam saber uma estimativa dos primeiros gastos com as contas essenciais a ter em mente:
  • Renda da casa;
  • Condomínio (se aplicável);
  • Água;
  • Electricidade;
  • Gás;
  • Seguro do carro;
  • Internet;
  • Televisão;
  • Telemóvel e/ou telefone;
  • Gasolina/ passe para transportes públicos;
  • Supermercado.

       Estas são as despesas básicas de quem pretende ir morar sozinho/a. Estas contas, em princípio, salvo excepções, são as contas essenciais para sobrevivência com que podes contar todos os meses (salvo o seguro do carro, mas que também é uma preocupação para quem o tem). A partir desta lista podes ter uma pequena estimativa do que é considerado essencial, mas claro que não é aplicável a todos ter carro, por exemplo, pelo que devem adaptar ao vosso caso em particular. O que não se podem esquecer é de acrescentar o que falta no caso de terem outros gastos, como por exemplo possíveis prestações do carro, da casa ou de um empréstimo ao banco para móveis e electrodomésticos. Apontem tudo o que forem gastos com que tenham que se preocupar!
       O objectivo é que apontem todos os vossos gastos necessários e procurem fazer uma estimativa de preço em cada ponto. Podem procurar imobiliárias físicas ou recorrer às formas virtuais para arrendamentos de casas já mobiladas; pesquisar os melhores pacotes de tv+internet+telemóvel; etc. Procurem todas as hipóteses de cada item da vossa lista para que possam, através de pesquisa, saber quais são as opções mais em conta. É importante somente que, na dúvida, coloquem o valor numa estimativa de erro superior ao que é o real gasto. Assim, no final sobra-vos dinheiro ao invés de faltar. Peçam ajuda aí em casa para fazerem as contas relativas aos gastos comuns de uma casa. Obterem essa informação não é nada difícil.
       Posto isto, terão o custo final do que irá custar morarem sozinhos. Agora já vão poder saber se com o vosso salário poderão sustentar-vos ou não, que é o primeiro passo essencial à tomada de decisão. Sem este passo, nada feito, como sabem. Podem é procurar soluções para arranjar mais dinheiro, como por exemplo dividir uma casa e respectivos custos com amigos. Mais tarde podemos dar as nossas sugestões e dicas para o controlo financeiro aí de casa. Isso e algumas dicas de como poupar dinheiro ou como adquirir alguns dinheiros extra.

Nós quando começámos a pensar nisto foi tudo muito bonito... Depois começámos a pensar nos
melhores e nos piores factores e chegámos à conclusão: esta é a decisão certa!
Sim, porque nós ainda só partilhamos esta casa virtual, mas o próximo ano trás muitas descobertas!

2. Como é que te podes preparar para essa decisão?
       É vulgar que as pessoas digam que, se pudessem voltar atrás no tempo, tinham juntado mais dinheiro, ou tinham viajado mais, pois teriam mais hipóteses financeiras de o fazer, etc. Nós  podemos dar-vos o nosso exemplo. Pensámos inicialmente em conversar com as nossas famílias sobre a nossa decisão e juntarmos algum enxoval e dinheiro, mas irmos o mais depressa possível morar juntos. Felizmente a nossa ideia não foi bem recebida e aconselharam-nos a juntar mais dinheiro, o que tem sido uma grande ajuda nestes primeiros tempos. É muito importante que juntem o máximo de dinheiro que conseguírem. E nisto aproveitamos para aconselhar a quem já pensou em morar sozinho/a que comece já a juntar dinheiro. Quando mais tempo tiverem para juntar, melhor serão os vossos primeiros tempos! Além de que, se forem juntando o enxoval com tempo, podem comprar coisas mais bonitas e mais baratas ao invés de comprarem à pressão sujeitando-se ao que houver, no preço que tiver que ser.

Créditos da imagem (aqui).
3. Como reduzir gastos desnecessários?
       Anda meio mundo a tentar poupar dinheiro em tudo e mais alguma coisa. Nós estamos longe de ser a excepção à regra, por isso sempre que encontrarmos novas formas de poupança vamos contar-vos. Mas já todos sabemos que existem várias formas de pouparmos algum dinheiro... Já todos ouvimos o sábio conselho "comprem roupas pela qualidade e não pela quantidade, até porque depois nem vão usar tudo e assim acaba por durar mais tempo". É bem verdade, pelo que o nosso conselho é que façam isso com tudo. Comprem os itens porque têm bom preço, durabilidade, por terem necessidade, sem se esquecerem da parte da beleza. Mas atenção: não resumam tudo à beleza, senão vão acabar por se arrepender nas compras das mobílias e electrodomésticos, principalmente. A verdade é que se escolhermos uma cama com um péssimo colchão só porque estava em promoção, mais tarde vamos ter que gastar o triplo do dinheiro quando o colchão estiver estragado e já não aguentarmos com as dores nas costas! Assim dão logo a início um pouco mais, acabando por compensar e servir de poupança na mesma. Com isto pretendemos dizer que não só desperdiçamos muitas vezes em gastos desnecessários como ainda em coisas necessárias mas mal escolhidas, por isso convém ponderarmos previamente todos os prós e contras em cada compra. 

Mealheiro venda em qualquer loja Ale Hop.
4. Como lidar com emergências?
       Uma das dicas mais importantes que vos podemos dar é dizermos para estarem prontos financeiramente para situações de emergência. E quando falamos disto não estamos a falar somente de uma possível dor de dentes que vos obrigue a ir ao dentista de imediato; mas também de um chuveiro estragado, uma avaria no carro, etc. É certo que tudo pode acontecer, e é impossível estarmos preparados para tudo, mas por certo que senão estivermos preparados para nada, a coisa há-de correr pior... E podem ter a certeza que situações de emergência vão acontecer!


5. Como saber qual a melhor escolha numa compra?
       Esta é uma dica de que nos apercebemos logo de início. Gostar de imensos itens quando começamos a ver coisas para a casa é super fácil. Vamos a lojas como A Loja do Gato Preto (aqui), Espaço Casa (aqui), Ikea (aqui), Tiger (aqui), Ale-Hop (aqui) ou DeBorla (aqui) e percebemos que há uma quantidade infinita de coisas giras e parece que queremos trazer tudo. O truque é vermos primeiro toda a loja e depois pensamos no que queremos mesmo trazer. Assim só gastamos no que realmente queremos e precisamos, e o dinheiro não será mal gasto.

Créditos da imagem (aqui).
       Resumindo, as nossas regras de ouro para quem está a ponderar ir viver sozinho/a é fazer um planeamento prévio dos gastos mensais, para saber se vai conseguir sustentar-se autonomamente; juntar algum dinheiro para casos de emergência; escolher de forma sábia e ponderar cada gasto; e procurar saber sempre quanto é que podemos gastar no momento, perceber se realmente faz falta e se nos satisfaz as medidas, porque, caso contrário, nem valerá a pena o gasto!
       Como podem ter percebido, ao longo da publicação, a única casa que partilhamos ao momento é esta casa virtual que é o nosso blogue, que também partilhamos convosco. Mas um dos nossos planos para 2016 é irmos de facto viver juntos e nessa altura não só esta rubrica estará de vento em popa, como todas as demais. Será muito mais fácil conseguir as melhores fotografias ilustrativas dos textos que vão ser mais facilmente o resultado dos pensamentos de ambos. Esperamos que tenham gostado das nossas partilhas... Já temos muito preparado e muito temos por vos contar e mostrar, mas ficará para outras alturas.

       E vocês, gostariam de acrescentar algo à lista? Partilhem tudo connosco! :)

Image and video hosting by TinyPic

12 comentários

  1. Este post é mesmo espetacular, adorei! Tenciono um dia sair de casa e sem duvida sao otimas ajudas! :D

    Abraço (:
    NEW POST! Through Streets Unbeaten

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta publicação foi o início da rubrica que terá temas tão importantes quanto este, onde vamos revelando tudo o que achamos mais importante para quem tem casa própria ou pretende vir a ter! :)
      Muito obrigado pela tua simpatia!!

      Eliminar
  2. Mesmo isso!
    É uma mudança muito importante nas nossas vidas!


    Muitos beijinhos
    MUAH*
    Blog | Youtube | Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo. Deve ser bastante ponderada, mas todos os momentos, a par disso, também devem ser bem aproveitados. Melhor que nós saberás! :P

      Eliminar
  3. Adorei este post! Queria mesmo mudar de casa e passar a morar com o meu namorado... Mas não temos independência financeira nenhuma para isso :( O post foi uma grande ajuda! Falam aqui de um ou dois pontos que nem me lembraria!
    xoxo, Ana

    The Insomniac Owl Blog
    Giveaway - Vale 25€ Kiko

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós estamos agora a iniciar a rubrica por isso podes ir acompanhando e sonhando com o momento de partilha de casa. Acredita que nós ao longo deste último ano fizemos muito disso! ahah
      Não te esqueças de ir partilhando as tuas ideias também connosco, está bem? :)

      Eliminar
  4. Olá ao meu Casal Mais Simpático Ever!

    Primeiro, parabéns pelo texto está muito bom!

    Depois vou partilhar a minha experiência que foi um pouco diferente.

    Eu sai de casa dos meus pais muito cedo, por opção. Alterei os horários dos meus estudos para conseguir ter 2 part-time's que me permitiam (à rasca) pagar o quarto (ao início não consegui alugar mais que isso), mais as despesas do dia-a-dia.
    Tinha acabado de fazer 17 anos e sem muita noção do peso financeiro do dia-a-dia, mas ainda assim a suficiente para me conseguir safar.
    Fui aprendendo que não precisava ter tudo para ser feliz. Que o preço da liberdade era mais caro do que eu imaginei quando decidi em tão tenra idade dar o pulo, mas isso trouxe-me muitas coisas boas.
    Aquele cliché que nos tornamos adultos muito depressa é verdade, mas não dramatizei. Tomei uma decisão, fiz uma opção de vida e aprendi a lidar com ela.
    Aos sábados de manhã as minhas amigas ressacavam da noitada e eu sabia que tinha que ir trabalhar para depois ir para outro trabalho e passava o fim-de-semana todo assim, a trabalhar quase 16horas por dia. Se me fez mal? Não! Se me fez bem? Talvez. Eu não sou fundamentalista nem dramática. Acho que se tomei essa decisão tinha que ser responsável por ela.
    Aos poucos as coisas iam melhorando. Depois passei alguns anos a partilhar casa com terceiros, e o desafio ai é bem maior. É um reality show das nossas vidas! (ahahha) As pessoas que partilhei casa eram desconhecidas, não as conhecia antes de ir para lá e nem sempre foi fácil. Porque nem todas as pessoas são parecidas ou compatíveis.
    Tive que abdicar de muita coisa e lembro-me de ir a lojas de decoração e de pensar o quão gostava de ter aquela peça e não podia, mas também sabia que não se pode ter tudo e eu já tinha conquistado a minha liberdade.
    E se vos disser que ainda conseguia juntar alguns trocos? É verdade!
    Sempre tive animais nestas aventuras... cheguei inclusivamente a ser penalizada por isso, a ser "expulsa" de casas partilhadas por ter animais, porque havia alguém que não gostava e eu tinha que sair. Mas sempre assumi isso. Cheguei a perder casas que adorava, porque o senhorio não me deixava lá ter os meus companheiros, e eu nunca o fiz. Nunca cedi e fiquei sempre com eles.
    Eu juntava dinheiro porque tinha um medo terrível de algum dos meus animais ficar doente, e ainda por cima tinha adoptado um cão com muitos problemas de saúde e como sabemos as despesas de veterinário são caras não queria falhar com eles.
    E como calculam sair de casa aos 17 anos é assinar o passaporte de "Daqui para a frente estás por tua conta e risco sem rede". Por isso, é normal que ao início tenha dormido mal e algumas insónias do medo do amanhã, mas depois passou! Mas nunca tive ajudas externas, mesmo muitas vezes tendo precisando. Aprendi que temos que saber viver com problemas.
    Quanto a vocês, são 2 é diferente, as coisas rolam melhor.
    Mas sem dúvida que é como dizem, sair de casa dos pais tem um peso financeiro grande, e muitas pessoas pensam que é só a renda, mas às vezes a soma de todas as outras despesas é superior a essa.
    Mas eu acho que reunir os "mínimos olímpicos" é o suficiente, porque a decoração mesmo a nosso gosto vem com o tempo, até porque isso será uma coisa que vão estar sempre a mudar, a decoração não é fixa para a vida toda. Agora electrodomésticos, cama e afins, sem dúvida que aconselho a comprar de boa qualidade, senão passado uns meses, já lá a morar, terão essa despesa outra vez!
    Ai que já escrevi tannnnnnto!
    Mas em resumo:
    1. Adorei o texto
    2. Adorei a vossa foto
    3. Boa sorte! Tudo vai dar certo, pode ser difícil e existir meses menos bons, mas vale sempre a pena.
    4. Beijinhos
    5. Gosto mesmooooooo de vocês
    6. E o que precisarem... chamem que eu vou! :)

    (desculpem ter escrito isto tudo!)
    http://ofabulosodestinodemariaamelia.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhh nossa Amélie! Sabe tãããããão bem ler isto tudo. É tão bom ter esta partilha de vidas. Obrigada por partilhares tudo connosco. Nós gostamos mesmo muito de ti, sabias? Mesmo!
      Deve realmente ter sido muito, muito difícil para ti... E com isto ainda percebemos mais que somos uns medricas... Mas uns medricas com os mesmos medos, ainda que partilhados a 2. O nosso Gasparzinho (o cão) é da família, por isso vai ter que ficar pela casa dos papás. Mas a gata peste negra é nossa responsabilidade. Mas tudo há-de correr bem!
      E sabes que mais? No que pudermos e soubermos... e mesmo no oposto, conta connosco para tudooo!!! És a nossa Amélie! :D

      E mais uma vez, obrigado!! Obrigado por tudo, e até pelo que nem sabes que nos fazes! :D

      Eliminar
  5. Eu vivo com dois colegas de casa mas, neste momento, estou desempregada e tem sido difícil pelo que, se a situação não mudar, tenha de voltar para casa dos pais. Até me assusto com isso já que moro fora há 7 anos. Ainda assim continuo positiva e acho que isso mudará eventualmente.
    Mas adorei a lista, é realmente importante ter tudo isso em causa. E decorar uma casa sai bem mais caro do que parece. Nós alugamos esta casa sem nenhuma peça de mobília ou decoração e mesmo comprando em lojas baratinhas como Ikea e até segunda mão, parece que a casa nunca fica totalmente pronta. O dinheiro parece nunca esticar para investirmos em detalhes que tornam a casa mais acolhedora.

    Venus In Fleurs
    Giveaway - The Porefessional by Benefit

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vais ver que com pensamentos positivos, as coisas positivas acabam por chegar também. Tudo há-de melhorar. Quando isso acontecer queremos saber, está bem? Não desistas!
      Obrigado pela partilha! :D É muito importante para nós termos estas opiniões e experiências...

      Eliminar
  6. Por este andar vou demorar muito a sair de casa da minha mãe, mas pronto. Como agora estou a trabalhar em part-time ou lá o que é que eu faço vou guardando dez euros cada vez que recebo um pagamento, para depois poder usar quando precisar, e nem saí de casa da minha mãe xD

    http://mnightcoffee.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas isso é realmente muito importante. É mesmo importante que vás colocando dinheiro de parte que vais ver que te irá fazer muita falta quando começares a pensar em sair para uma casa própria. Acredita! Também nós o devíamos ter começado a planear mais cedo...

      Eliminar

Obrigado pelo comentário! Vamos responder-te no mais breve espaço de tempo que nos for possível. Até sempre! :)

Latest Instagrams

© Ela e ele... Ele e ela.... Design by FCD.