Dicas para quem adopta um cão/ uma cadela

sábado, dezembro 03, 2016

       Como sabem, nós já tínhamos uma peste negra em forma de gata, que é o nosso primeiro amor comum. Uma gata que nos faz conquistar todos os dias a sua atenção, a muito custo. Quando nos mudámos para vivermos juntos, adoptámos o gato dos meus (ele) sonhos (relembramos que contámos isso aqui), o Klaus de Cloud. Uma nuvem cinzenta, peluda e fofa que é o cão da casa. Continua a sê-lo. Mas agora temos uma nova peste: a Chiclet, uma cadela pinscher (de pai pinscher e mãe arraçada de pinscher e podengo), que é acima de tudo, uma grande, grande pestinha (não se deixem enganar pelo seu tamanho!). Ainda nunca tínhamos tido possibilidades de educar uma cadela, por isso procurámos ajudas. Muitas. Agradecemos todos os que nos enviaram e-mails com dicas. Muito, muito obrigado!
        Hoje decidimos elaborar uma compilação para que quem, como nós, decide adoptar um cão/ uma cadela possa saber com o que contar e como agir. Já outrora o tínhamos feito com dicas para quem adopta um gato/a (que podem ler aqui), por isso agora faltava mesmo a versão canina.
        Mais uma vez vos escrevemos que adoptar um animal, seja ele qual for, não é o mesmo que comprar um novo móvel para casa. Temos que estudar bem o assunto. Sim, estudar! Temos que perceber quais serão as suas necessidades, tentar perceber quais os seus comportamentos, como podemos educá-lo, como ajudá-lo a ser feliz! Antes de adoptarmos a Chiclet, nome da nossa cadela, pesquisámos muito sobre qual o cão mais apropriado a ter num apartamento, a juntar a dois gatos. Sabíamos que tinha que ser pequeno, pelo espaço que temos. Cada um tem que analisar as suas condições. Afinal, mesmo a pagar as contas de idas ao veterinário de um pinscher não será, com toda a certeza, o mesmo do que seria ao adoptar um pastor alemão. E foi a loucura que nos acertou quando decidimos adoptar a Chiclet. Que loucura! Uma boa loucura, é o que nos vale. É uma peste... mas uma peste de amor!

       Por vezes educar um cão pode não ser um mar de rosas. Por exemplo, eu (Ela), lembro-me de educar o Gasparzinho (o cão da minha família) com a mesma idade que a Chiclet e era beeem mais fácil. Ele aprendia quase à primeira. Já a Chiclet... Bom, ela tem um feitio muito parecido à dona ahah. Para lhe ensinar simples processos como a sentar, a ela vir quando a chamam, a dar a pata foram caóticos, pela sua teimosia. Isso e, claro está, pela nossa total inexperiência. Continua a ser uma aprendizagem para ela e para nós a cada dia. Continua a ser uma pesquisa diária para o fazer da melhor forma. No entanto, já podemos adiantar, um mês depois, várias dicas para quem pretende adoptar um canídeo.


Alimentação: Como já havíamos retratado no que à alimentação dos gatos diz respeito, numa conversa com a veterinária Marta, da FLAMvet, o alimento ideal para os nossos animais domésticos nada tem a ver com as marcas ou preços. Há marcas mais caras que não têm a comida ideal para os patudos, bem como há comidas em conta que têm, como vice-versa. O factor a ter em conta é a percentagem de proteína (a forma mais fácil é ver se este é o primeiro ingrediente da composição da comida), já que este será o alimento mais próximo da sua comida natural. Há quem pense que o ideal é dar-lhes carne, mas o facto é que no meio natural comem tudo de um animal, e não só as partes que nós costumamos comer. Isso fará com que lhes faltem nutrientes essenciais ao seu bem-estar. Por isso podem dar-lhes carnes sem temperos, tendo cuidado com os ossos finos que se podem espetar nos intestinos, e procurando dar-lhes também ração para complementar com as vitaminas que lhes faltam. Relativamente ao arroz, existe um arroz que é dito "específico para cães" e isso terá unicamente a ver com o facto de ser mais fácil de digestão. 


Saúde oral: Muitas pessoas desconhecem que os animais também têm que tratar dos seus dentes. Os gatos não necessitam, geralmente, de tantos cuidados, mas os cães podem sofrer muito de tártaro e outros problemas, pelo que é essencial que a higienização seja um processo a iniciar o mais rapidamente possível. Aliás, se vamos ter um cão de grande porte até é conveniente que se trate quando este ainda está na sua infância, já que em adulto será praticamente impossível escovar os seus dentes se este não tiver esse hábito. Em termos de cuidados dentífricos o processo é muito simples. Existem escovas com um cabo comprido para os cães de grande porte, e escovas que se colocam no dedo para todos os tipos de cães. Não será necessário que usem pastas dentífricas já que o essencial é deslocar a comida que fica presa nos dentes. Podem ainda dar-lhes ossos de pele de vaca ou outros próprios para que os dentes estejam sempre cuidados. Esta hipótese é bem mais deliciosa e divertida para eles.


Brinquedos & Brincadeiras de caça: É muito importante incentivar as vontades primárias dos cães. Uns são caçadores, outros mais farejadores, etc. É mesmo uma realidade que devem pesquisar muito bem as características das raças para que os possam satisfazer da melhor forma. Brincando mais com os mais activos e deixando relaxar os mais preguiçosos, percebem a ideia? De qualquer forma as dicas de caça são válidas para todas as raças, ainda que umas raças devam impelir a que seja uma actividade mais profunda. Para tal não é necessário gastar muito dinheiro, pois há vários projectos simples que não implicam gastar muito dinheiro.


Brinquedos: Caso não queiram ver as vossas almofadas destruídas, os móveis roídos, os ténis desfeitos, então é necessário que haja precaução, paciência, e pesquisa para que a educação tenha a mais rápida e melhor acção. É importante que arranjem muitos brinquedos, feitos por vocês, ou comprados, o importante é que haja vários para que os cães possam brincar e entreter-se. Principalmente em pequenos vão procurar coisas para roer pelo facto de os dentes irem cair e nascer novos. É importante que brinquem com eles, pois os cães são animais de companhia que precisam de carinho e atenção durante toda a vida. Eles procuram quem cuide deles, e eles também irão cuidar em retribuição. Não é por acaso que se diz que os cães são o melhor amigo do Homem. São mesmo!

       Não podem é desistir de os educar. Na sua infância, ou mesmo numa mudança de espaço, ou simplesmente porque nunca foram educados, às vezes eles escolhem brinquedos que não deviam escolher e lá se vão aqueles sapatos preferidos, aquela almofada que temos desde sempre ou aquelas meias que comprámos ontem. É importante que os eduquem pacientemente. E nesta altura não conseguimos mesmo deixar de vos dizer as vezes que forem precisas: para educar não precisam de bater! Precisam de pesquisar a forma correcta de os educar. Precisam de desviar as suas atenções do que não interessa e, se necessário, usar um jornal enrolado para fazer barulho e os assustar, sem os magoar. Eles rapidamente perceberão as indicações que lhes pretendem dar.



Bebedouro & Comedores: Toda a gente sabe que é importante ter duas taças com comida e bebida. Mas ter essas taças para cães e para gatos não é o mesmo. Existem cães de porte muito maior que um comum gato. É portanto relevante ter noção do tamanho do cão para que ele não tenha que se curvar em demasia para beber ou comer, bem como o oposto, não devem esticar-se demasiado. Devem estar confortáveis. Outra diferença entre os cães e os gatos é que, a partir dos 6 meses, para facilitar a tarefa de os levar à rua, para que não façam as necessidades fisiológicas em casa, podem agendar uma hora ao almoço, outra ao jantar, para lhes dar a comida e, logo de seguida, os levarem a passear.


Cama: Muitas pessoas gostam de dormir com os seus animais. Também dormimos muitas vezes com o Gasparzinho. Actualmente dormimos quase sempre com os felinos. Mas tomámos desde logo a decisão de não habituar a cadela a dormir connosco. É uma opção pessoal. Preferimos que os gatos, que já cá estão há mais tempo, e que devem estar no comando, para bem da cadela, tivessem esse privilégio. Ela tem que perceber (ainda que nos esteja a custar ensinar, a nós e ao Klaus) que os gatos estão a cima dela nesta coisa de quem manda cá por casa. É que os gatos podem facilmente cegar ou matar, principalmente se tiverem o triplo do caminho da cadela, como é o caso do Klaus. Ela tem sorte porque só a Maria Preta é que lhe impõe respeito. Quem não tem tanta felicidade é o pequeno Klaus que a deixa brincar com ele, como ela brincaria com os irmãos, por certo. Ele tem uma paciência imensa!
       Além do facto de termos gatos, e de preferirmos que todos percebam que eles estão primeiro, é importante haver espaços que sejam somente dos donos. Afinal nas matilhas os cães e lobos também não ocupam os lugares dos líderes.


Coleira e Trela: A opção de andar de coleira em casa é geradora de controvérsia. Já a exigência de trela não deixa margens para dúvidas, e para isso é necessário o uso de coleira ou peitoral. Nós preferimos usar coleira, mas temos ambos. Ainda estamos longe de vos poder dar dicas quanto a isto, pela simples razão de que estamos à espera que a pequena possa sair à rua. Ainda só treinámos em casa, mas este também é um passo essencial. Não podem descurar no que diz respeito aos primeiros passeios pois eles vão relembrar-se disso nos passeios seguintes. É importante que lhes mostrem que vocês são os líderes da matilha. 


Questões legais:
  • A vacina anti-rábica, a da raiva, é obrigatória por lei. É também importante que quem passeia o cão se faça acompanhar pelo boletim de vacinas devidamente preenchido. Quanto às demais vacinas serão muito melhor aconselhados pelos respectivos veterinários. 
  • O micro-chip é uma pequena cápsula inserida sob a pele do patudo que tem um número exclusivo que regista o animal no nome do seu dono. Uma folha será para o veterinário, uma cópia para o dono e outra para ser entregue na Junta de Freguesia. 
  • O registo e licença do animal também é de cariz obrigatório, sendo que os cães considerados de raça perigosa terão mais requisitos que os demais.
  • Para os animais considerados de raça perigosa é ainda necessário o uso de açaime. Para os demais o uso de trela é o suficiente. Para estes é ainda obrigatório um seguro.



       Segundo as dicas que nos foram dando, segundo o que fomos lendo, é importante que comam qualquer coisa para que mostrem que são vocês a estar no comando das suas vidas. Da mesma forma, devem ser vocês os primeiros a sair de casa, ou a entrar onde quiserem. Devem estar sempre à frente e o cão terá que vos seguir. A ideia principal que um dono tem que perceber é que temos que nos comportar e ensiná-los da mesma forma que são ensinados numa matilha, pela mãe ou o líder. Não devem morder com força, para não magoarem. Devem perceber que são vocês que controlam se eles podem ir para o sofá e não fazer o que quiserem. Devem ter horas estipuladas para passeios, para que lhes seja mais fácil aprender a controlar as necessidades fora de casa. 

       Caso tenham mais dicas, não hesitem em contactar-nos. Estávamos a pensar e: por acaso não querem dicas sobre como juntar dois gatos e/ ou gatos e cães numa mesma casa? O que podemos adiantar é que é muito mais difícil juntar pássaros a gatos...





8 comentários

  1. Respostas
    1. Então partilhem com quem acharem que deve ler! :)

      Eliminar
  2. Que ternura *.*
    Quando queremos adotar um animal temos mesmo que analisar várias coisas, porque, como tão bem referiram, não é a mesma coisa que comprar um móvel para a casa. Por mais que gostássemos de ter um cão (um gato,...), é preciso estarmos cientes das responsabilidades e percebermos se temos ou não condições para tal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É claro que é como tudo na vida, há sempre imprevistos para os quais não vamos estar preparados, mas convém que tenhamos noção do que nos espera! O que queremos chamar a atenção é que ter um cão, um gato, não é assim tão diferente de ter um filho, principalmente no caso do cão.

      Eliminar
  3. A vossa Chiclet é um amorzinho, tão fofinha!
    Quanto ao post, não podia ter dito melhor, parabéns! Aqui em casa com a Oreo temos um dono de primeira viagem (João) que nunca teve animais de estimação e portanto sabia zero sobre educar um cão. Eu é que lhe tenho ido ensinando. Embora sempre tenha tido cães grande parte da minha vida, é bem diferente quando somos nós a ter a responsabilidade total sobre ele, cuidar e ensinar. Tudo o que disseram está muito bem dito e quem pensa em adotar um animal tem que considerar tudo o que isso envolve, custos, tempo, paciência, mais paciência e todas as outras coisas. A nossa Oreo é muito espertinha e aprende rápido (ensinei-lhe os comandos básicos "senta" e "dar a pata" em menos de uma hora) o difícil é conseguir que se concentre, para poder aprender. A nossa maior dificuldade até agora está a ser treina-la para fazer as necessidades na rua... A sacana vai à rua, passeia e assim que chega a casa pimba. x) Mas lá está, com paciência chegamos lá :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não te deixes enganar pela aparência, porque é uma peste tãão, tããão gigante! Nem sabes! E uma teimosa e dissimulada!
      Muito obrigado pela tua simpatia! Por aqui é exactamente assim também. Mas mesmo com alguma bagagem, é difícil lidar com esta pestinha. Ela tem mesmo um feitio complicado. A própria veterinária avisou-nos disso logo no primeiro dia. Ela compreende logo os pontos fracos. Percebe como se fazer de coitadinha. Percebe quem está no comando e dirige-se logo para o outro para a defender. É mesmo muito tramada! Só para teres noção, o cão da minha (Ela) mãe era tal como a tua oreo. Aprendia tudo num ápice. Dava a pata, sentava-se e trazia-nos os brinquedos, vinha quando o chamávamos e tudo isto nem dois meses tinha, logo nos primeiros dias. O mesmo que esta... num mês!
      A nossa ainda só para o final da próxima semana vai poder ir à rua, mas estamos muito ansiosos! :)

      Eliminar
  4. Bem, eu tenho uma cadela gigantesca e uma gata ainda meio bebé, por isso posso dizer-vos que a melhor forma de os juntar é mesmo fazerem-no com descontracção, como se nada se passasse. Elas vão ter curiosidade em conhecer-se e vão fazê-lo espontaneamente :) Os animais são muito mais inteligentes do que pensamos. As minhas dão-se lindamente, nunca se chatearam nem andaram à briga. Mas no início o que faziam era ignorar-se mutuamente. Entretanto começaram a estar mais juntas e até dormem muitas vezes na mesma cama :P Boa sorte para vocês! E parabéns por terem a iniciativa de ter tantos animais :D São o melhor do mundo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São mesmo o melhor do mundo! São a nossa relíquia!!
      Por aqui a pequena dá-se mal com a preta e passa a vida a chatear o Klaus que tem uma paciência de santo para ela...
      Muito obrigado pela dica! :D
      Um bem-haja por também teres esse carinho pelos animais! O mundo só devia ser constituído por pessoas assim...

      Eliminar

Obrigado pelo comentário! Vamos responder-te no mais breve espaço de tempo que nos for possível. Até sempre! :)

Latest Instagrams

© Ela e ele... Ele e ela.... Design by FCD.